Análise histomorfométrica de tecido ósseo mantido em solução fisiológica

Camilla C. G. Moura, Walter Betoni-Junior, Paula Dechichi

Abstract


O sucesso dos enxertos ósseos autógenos está relacionado à viabilidade das células transportadas para a área receptora. Durante o procedimento cirúrgico, entre a retirada do bloco ósseo da área doadora e sua colocação na área receptora, é comum que o fragmento fique algum tempo em solução fisiológica. O objetivo desse estudo foi realizar avaliação histomorfométrica da preservação de osteócitos em fragmentos de tíbia, mantidos em solução salina por diferentes períodos. Vinte e quatro fragmentos ósseos foram removidos e divididos em quatro grupos iguais. O grupo controle foi fixado em formol 10%, imediatamente após a remoção. Os demais grupos foram mantidos em solução salina por 5, 15 ou 30 minutos, antes da fixação. Em seguida, os espécimes foram descalcificados em EDTA e processados para inclusão em glicol metacrilato. Os cortes com cerca de 3μm de espessura foram corados em azul de toluidina 1%. A análise histológica foi realizada segundo critério que considerou os osteócitos como normais, alterados e lacunas (vazias). Se¬gundo análise estatística (teste de Tuckey) houve redução significativa na quantidade de osteócitos normais em todos os períodos experimentais. O número de lacunas e osteócitos alterados aumentou significativamente em todos os períodos experimentais, exceto em 5 minutos. Segundo os resultados, ocorre redução progressiva da quantidade de osteócitos em fragmentos ósseos de tíbia de coelhos mantidos em solução salina.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2005.v8i1.179