Avaliação in vitro da microinfiltração marginal de três sistemas adesivos

José F. Costa, Rosana C. Casanovas, Ana Karina B. B. de Castro, Luiz A. F. Pimenta

Abstract


A proposta deste estudo foi investigar, in vitro, a microinfiltração marginal em restaurações classe II realizadas com três sistemas adesivos. Setenta e cinco cavidades classe II, do tipo slot vertical foram preparadas em dentes bovinos, com margem gengival localizada 1,0 mm além da junção esmalte/cemento. Em seguida, foram numeradas e divididas aleatoriamente em três grupos de acordo com o sistema adesivo utilizado: Grupo SBMP - sistema adesivo múltiplos frascos, Scotchbond Multi Uso; Grupo PB2.1 - sistema adesivo frasco único, Primer & Bond 2.1; Grupo CLB2V sistema adesivo "autocondicionante", Clearfil Liner Bond 2V. As cavidades foram restauradas com resina composta em três incrementos horizontais. Após polimento, os dentes foram submetidos a 1000 ciclos térmicos em água destilada em banhos de 5°C±2ºC e 55ºC±2ºC. Após impermeabilização com esmalte cosmético, os dentes foram imersos em azul de metileno a 2% tamponado por 4 horas. Logo depois, foram seccionados no centro das restaurações e analisadas quanto ao grau de infiltração em lupa estereoscópica com 50 vezes de aumento. Os dados foram submetidos ao teste de Kruskal Wallis (p> 0,05) e expressos através da soma das ordens: Grupo SBMP - 936,50; Grupo PB2.1 - 1053,00; Grupo CLB2V - 860,50. Embora Clearfil Liner Bond 2V tenha apresentado menores índice de microinfiltração, não houve diferença estatisticamente significante entre os grupos (a=0,4531). Concluiu-se, que os três sistemas adesivos estudados não foram capazes de impedir a microinfiltração na margem gengival de restaurações classe II de resina composta, e o adesivo "autocondicionante" comportou-se da mesma forma que os adesivos que utilizam o ácido fosfórico como agente condicionador.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2003.v6i1.194