Avaliação da resistência à remoção de coroas totais cimentadas sobre dentes hígidos preparados e dentes reconstruídos com núcleos metálicos fundidos

Juliano Scolaro, Accácio Valle, Gerson Bonfante, Daniela Diniz

Abstract


Objetivo: a finalidade deste trabalho foi verificar a resistência à remoção por tração de coroas totais fundidas, cimentadas em dentes hígidos preparados e em dentes reconstruídos com núcleos metálicos fundidos em duas situações: raízes íntegras e raízes transfixadas. Métodos: Foram selecionados trinta primeiros pré-molares superiores, dez para cada condição experimental, os quais foram incluídos por suas raízes até 2,0mm da junção cemento-esmalte em bases plásticas, para receber preparo do tipo coroa total. Com exceção da condição controle (dente sem reconstrução), as demais tiveram, após preparo endodôntico dos condutos, a porção coronária seccionada ao longo da junção cemento-esmalte. Os dentes foram a seguir reconstruídos com núcleos metálicos fundidos em liga de cobre-alumínio (Duracast). As coroas foram obtidas com liga de níquel-cromo (Wiron 99) e cimentadas com cimento de fosfato de zinco, nos respectivos troquéis, através da aplicação de uma carga estática de 5kg sobre as coroas fundidas. Após a pre a do cimento, o conjunto foi armazenado em solução fisiológica a 37oC durante 48 horas e após este período foram realizados testes de remoção por tração axial. Resultados: O grupo dos dentes hígidos apresentou os maiores resultados de resistência à tração (33,64Kgf), seguido respectivamente do grupo de núcleos transfixados (22,43Kgf) e do grupo de núcleos convencionais (16,24Kgf). A análise estatística demonstrou a existência de diferenças significativas entre todos os grupos. Conclusão: A retenção das coroas aos dentes hígidos preparados foi maior de que a das mesmas coroas cimentadas sobre núcleos metálicos fundidos e do que e retenção intra-radicular dos núcleos.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2003.v6i2.318