Influência do tipo de substrato dentinário na resistência de união a microtração - estudo “in vitro”

Paulo Afonso Burmann, Luciana Borges Retamoso, Mariana Boessio Vizzotto, Sabrina Almeida do Nascimento, Fernanda Tranchesi Sadek, Paulo Eduardo Capel Cardoso

Abstract


Este estudo avaliou a resistência de união entre o conjunto resina composta/adesivo e diferentes tipos de substrato dentinário. Quinze molares humanos extraídos foram divididos em três grupos de acordo com o tipo de dentina: 5 dentes com dentina afetada por cárie (C), 5 restaurados com amálgama (R) e 5 dentes hígidos (H). Todos os dentes tiveram sua superfície oclusal desgastada até expor uma superfície dentinária plana. As diferentes superfícies foram condicionadas com ácido fosfórico a 37% (3M ESPE), seguindo-se a aplicação e fotopolimerização do adesivo Single Bond (3M ESPE) para a imediata inserção de incrementos de 1 mm de resina composta (Z250 – 3M ESPE) até atingir 4 mm de altura. Após 24 horas de armazenagem em água destilada (37ºC), os corpos-de-prova em forma de palito com secção transversal de 1 mm2 de área foram submetidos ao ensaio de microtração (Instron). A análise estatística (ANOVA/Tukey) revelou que o fator substrato interferiu na resistência adesiva (p<0,05), com a dentina hígida (42,0±7,1 MPa a) proporcionando maiores valores que a dentina restaurada (37,1±4,7 MPa b) e que a cariada (37,7±4,8 MPa b).



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2007.v10i1.418