Fatores relacionados ao uso de diferentes métodos de contenção em pacientes portadores de necessidades especiais

Ana Cristina B. de Oliveira, Saul M. de Paiva, Isabela A. Pordeus

Abstract


A fim de obter dados quanto ao uso de técnicas de contenção durante atendimentos médicos ou ontológicos de portadores de necessidades especiais, foram pesquisados 209 pais de crianças com deficiência mental e idade inferior a 15 anos, de duas instituições brasileiras. Após aprovação do comitê de Ética da UFMG e assinatura do termo de consentimento, cada participante respondeu a uma entrevista. Através do teste do X2, verificou-se que 69% das crianças possuíam experiência com contenção física, 41% já tinham sido submetidas à sedação e 31% à anestesia geral, sendo estas diferenças estatisticamente significativas. Não houve relação estatística entre o uso das técnicas de contenção e às variáveis: idade, gênero e classe econômica da criança. Baseado neste estudo
percebe-se que a utilização das técnicas, na maioria das vezes, considera diferentes fatores, sendo a indicação para determinado método de controle comportamental baseado na análise individual de cada criança.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2004.v7i3.437