Análise do sorotipo e dos genes para mutacinas em streptococcus mutans isolados de pré-escolares com diferentes experiências de cárie

Márcia Regina Rodrigues, Sandra Mara Maciel, Flaviana Bombarda de Andrade Ferreira, Augusta Piovezan, Flávio José Sambatti Pieralisi, Regina Célia Poli-Frederico

Abstract


Streptococcus mutans são freqüentemente isolados do biofilme dentário e de lesões cariosas, encontrados em praticamente todos os indivíduos com alta, média, até baixa prevalência de cárie. Porém a simples detecção destes microrganismos não justifica o desenvolvimento da doença. A existência de grande diversidade genotípica nas espécies de S. mutans pode resultar na colonização da cavidade bucal por cepas com diferentes características de virulência. Os objetivos desse estudo foram avaliar a freqüência dos sorotipos c, e e f e os genes para as mutacinas I, II, III e IV pela reação em cadeia da polimerase (PCR) dos S. mutans isolados de pré-escolares sem e com história de cárie dentária. O sorotipo c foi o mais predominante (80%). A infecção mista (c e f) foi evidenciada em 20% dos pré-escolares com cárie. Todos os isolados de S. mutans foram negativos para os genes das mutacinas I/III. No grupo livre de cárie, 60% dos isolados foram positivos para o gene da mutacina II e 40% para o da mutacina IV. Por outro lado, 80% e 70% dos pré-escolares com cárie mostraram genótipos positivos para os genes das mutacina II e IV, respectivamente. Foi observada a relação positiva entre sorotipo e presença dos genes para as mutacinas II/IV nos pré-escolares com cárie dentária (r = 0,69, P < 0,05). Esses resultados sugerem que múltiplos sorotipos e presença dos genes para mutacinas II/IV estão relacionados com a cariogenicidade de S. mutans.




DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2008.v11i4.665