Avaliação da estabilidade dos efeitos dento-esqueléticos decorrentes da expansão rápida da maxila (ERM) por meio da análise cefalométrica frontal

Maria Isabel Latuf, Giselle Menusier, Helga Barbosa, Kurt Faltin Jr.

Abstract


Objetivo - O presente estudo propôs avaliar a estabilidade dos efeitos dento-esqueléticos decorrentes da expansão rápida da maxila (ERM), bem como avaliar o dimorfismo sexual. Material e Método - Foram avaliados 9 pacientes, sendo 5 do sexo feminino e 4 do sexo masculino, com idade média ao início do tratamento ortopédico de 11 anos e 2 meses, através de telerradiografias frontais obtidas em um intervalo médio de 2 anos pós-contenção da ERM. Resultados – As análises estatísticas indicaram que as larguras maxilar, nasal e inter-molar inferior apresentaram uma diminuição leve, porém sem significância estatística. No entanto, para distância inter-molar superior, esta diminuição foi estatisticamente significante. Conclusão – Os efeitos esqueléticos decorrentes da ERM mantiveram-se estáveis após o período de observação, já com relação aos efeitos dentários, foi observado uma pequena recidiva somente na distância inter-molar superior. No que diz respeito ao dimorfismo sexual, os efeitos dento-esqueléticos permaneceram estáveis tanto no sexo feminino como no masculino.




DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2009.v12i2.354