Avaliação da alteração dimensional e porosidade em próteses oculares polimerizadas por energia de microondas

Marcelo Coelho Goiato, Carina Garcia de Farias, Daniela Micheline dos Santos, Aline Úrsula R. Fernandes, Stefan Fiúza de C. Dekon

Abstract


A proposta desse estudo foi avaliar a alteração dimensional linear e porosidade em próteses oculares polimerizadas por energia de microondas. Para isso, foram obtidos 30 corpos-de-prova incluídos com dois diferentes silicones; as íris artificiais foram confeccionadas sobre discos de cartolina pintadas com três diferentes tipos de tintas. A alteração dimensional foi mensurada por meio de leituras entre as bordas dos corpos-de-prova através de um microscópico comparador e, após obtenção dos resultados, realizou-se a análise estatística pelo teste de Tukey. A porosidade foi avaliada pela contagem dos poros por lupa estereoscópica. Para isso, utilizou-se uma fita adesiva perfurada e colada no centro da base dos corpos-de-prova. Esses corpos-de-prova foram imersos em tinta Nankin por 8 horas, lavados em água corrente por 10 segundos, secos por jato de ar e papel absorvente. Como resultados, encontramos que os corpos de prova incluídos com o silicone Zetalabor apresentaram-se com menor porosidade quando comparados com os corpos-de-prova incluídos com o silicone Vipisil. Os corpos de prova incluídos com silicone Zetalabor sofreram menor alteração dimensional linear (contração), comparados com os corpos de prova incluídos com o silicone Vipisil, sendo que os incluídos com Zetalabor e pintados com tinta guache e acrílica apresentaram menor alteração dimensional. Concluímos, portanto, que os corpos de prova
incluídos com silicone Zetalabor e pintados com as tintas guache e acrílica se comportaram de forma mais adequada no que diz respeito à alteração dimensional linear e porosidade do que os corpos-de-prova incluídos com silicone Vipisil e pintados com tinta a óleo.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2004.v7i3.303