Influência da inclusão, polimento e período de armazenagem, sobre a rugosidade de resinas acrílicas para próteses oculares

Marcelo Coelho Goiato, Daniela Micheline dos Santos, Valentim Adelino Ricardo Barão, Josiene Firmino de Souza, Aldiéris Alves Pesqueira, Aline Úrsula Rocha Fernandes

Abstract


A proposta desse estudo foi avaliar a rugosidade de resinas acrílicas próprias para confecção de próteses oculares, sub-metidas a dois diferentes métodos de inclusão e polimento, antes e após 60 dias de armazenagem. Foram confeccionados 24 corpos-de-prova, obtidos a partir de discos em resina acrílica incolor confeccionados em prensa semi-automática. Os discos foram incluídos em muflas próprias para microondas, utilizando dois diferentes tipos de materiais para revestimento, gesso especial e silicone de condensação. Após a presa final do gesso, as muflas foram abertas, os discos retirados e a resina prensada e polimerizada em forno microondas. Após o resfriamento natural das muflas, os corpos-de-prova foram desincluídos e submetidos ao acabamento e polimento. Dos 24 corpos-de-prova obtidos, 12 receberam polimento mecânico e restante polimento químico. Os corpos-de-prova foram submetidos ao teste de rugosidade de superfície, antes e após um período de armazenagem de 60 dias, utilizando um rugosímetro digital portátil modelo RP100 (Tonka Sul Americana Ltda, Brasil). Para cada corpo-de-prova foram realizadas 3 leituras que posteriormente foram transformadas em valores médios. Os resultados obtidos foram avaliados utilizando análise de variância seguido pelo teste de Tukey em nível de 5% de significância. Em todos os grupos houve um aumento na rugosidade superficial após 60 dias de armazenagem, porém estes valores só foram estatisticamente significantes para os corpos-de-prova polidos quimicamente. O grupo silicone proporcionou menores valores de rugosidade para os grupos quimicamente polidos. Independente do polimento empregado e do tempo de armazenagem, a inclusão com gesso proporcionou maiores valores de rugosidade superficial.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2007.v10i1.419