Avaliação da qualidade de superfície de moldes obtidos a partir de duas técnicas de moldagem utilizando-se três marcas de alginato

Humberto G. Filho, Eduardo Vedovatto, José V. Q. Mazaro, Wirley G. Assunção, Paulo H. Santos

Abstract


Empiricamente, tem-se utilizado o alisamento do alginato com o dedo umedecido após o carregamento da moldeira, com a justificativa, de se obter moldes com número reduzido de bolhas e irregularidades, fato que tem sido observado por alguns autores, sem saber no entanto, se existe diferença entre essas técnicas no que diz respeito às diferentes formulações de alginato. Assim, o propósito desse estudo foi avaliar a presença de bolhas superficiais de 3 marcas de alginato, quando submetidas à duas técnicas de moldagem; com carregamento convencional com a espátula e com o carregamento seguido do alisamento com dedo umedecido em água. Foi confeccionada uma matriz em resina acrílica, representando um maxilar edêntulo cujo palato foi ligeiramente modificado a fim de apresentar superfície plana. O estudo foi dividido em 6 grupos de acordo com a técnica de moldagem e com o material utilizado (Jeltrate, Jeltrate Plus e Hidrogum), consistindo em dez moldes para cada grupo. Após a realização da moldagem, a região do palato foi analisada em lupa (50 vezes), permitindo a contagem das bolhas, sendo os dados tabulados e submetidos ao tratamento estatístico da análise de variância e teste de Tukey com nível de significância a 5%. Os resultados permitiram concluir que: a presença de bolhas foi significantemente superior (p<0,05) nos grupos em que o alisamento não foi realizado; o alginato “Jeltrate” apresentou maior discrepância entre a técnica sem e com alisamento, em relação à presença de bolhas.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2005.v8i4.398