Análise da movimentação dos dentes artificiais em próteses totais superiores. Influência do tipo de polimento.

Marcelo C. Goiato, Eduardo Vedovatto, Daniela C. Z. Amantéa, Humberto G. Filho, Marcio L. V. D. Marinho

Abstract


O propósito desse estudo foi o de verificar a influência do polimento sobre a posição relativa dos dentes artificiais de próteses totais superiores, quando essas são confeccionadas com diferentes tipos de materiais ou associações, analisando para tanto à diferença entre as distâncias dos dentes pelo método de computação gráfica. Foram confeccionadas quarenta próteses totais superiores idênticas, sendo divididas em oito grupos de cinco espécimes cada de acordo com o tipo de resina (Vipi-wave e Onda-cryl), tipo de silicone para inclusão (Vipi-sil e Zetalabor) e tipo de polimento. As próteses foram polimerizadas em microondas, demufladas e submetidas ao polimento químico e ao polimento mecânico. Em cada fase as próteses foram digitalizadas em scanner de mesa e suas imagens exportadas para o software AutoCad 2000 que possibilitou a mensuração dos segmentos entre os pontos previamente demarcados nos dentes. Os dados foram submetidos ao tratamento estatístico, e os resultados possibilitaram concluir que o polimento físico resultou em alterações significantemente superiores ao polimento químico quando os dados foram analisados independentemente do grupo estudado (p<0,05). O polimento das próteses resultou na grande maioria das amostras em uma recuperação gradual da contração de polimerização. Os grupos em que a resina de eleição foi a Vipi-wave (T1, T1’, T2 e T2’) apresentaram-se menos susceptível ao polimento químico que os grupos em que a resina foi a Onda-cryl (T3, T3’, T4 e T4’).




DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2006.v9i1.260