Avaliação bioquímica de xenoimplantes em subcutâneo de rato

Willian F. Zambuzzi, Thelma L. Silva, Rodrigo C. Oliveira, José Mauro Granjeiro

Abstract


O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial das fosfatases ácidas como biomarcadores da resposta tecidual ao implante de osso medular inorgânico bovino. Cápsulas de colágeno foram utilizadas como carreadores de partículas macro (1000 a 2000 μm) e microgranulares (200 a 600 μm) e implantados em subcutâneo de 60 ratos Wistar, divididos aleatoriamente em 3 grupos: Grupo I (cápsula de colágeno vazia), Grupo II (macrogranular) e Grupo III (microgranular). Decorridos 10, 20, 30 e 60 dias pós-cirúrgico, os animais foram mortos para a remoção do tecido reacional de onde se obteve o extrato. As atividades específi cas (AE) das fosfatases ácidas total (FAT), lisossomal (FAL) e a de baixo peso (FABMr) foram realizadas no pH 5,0 utilizando o p-nitrofenilfosfato como substrato, na presença de inibidores específi cos para cada enzima; a atividade tirosina (Tyr-P) fosfatase foi obtida nas mesmas condições utilizando a tirosina fosfato como substrato. No Grupo I observou-se que a atividade da FAT e FAL não variaram signifi cativamente ao longo dos períodos experimentais, entretanto ambas as enzimas apresentaram atividades signifi cativamente maior (p<0,05) no grupo II que no grupo III na maioria dos períodos avaliados. A FABMr no grupo I foi menor (p<0,001) que nos grupos II (aos 10 e 30 dias) e III (aos 10 dias), mas nos períodos de 20 e 60 dias a FABMr foi maior (p<0,001). A Tyr-P detectada nos períodos de 20 e 60 dias era cerca de 18 vezes maior que aos 10 e 30 dias. Concluiu-se que a atividade da fosfatase ácida total, e suas isoformas FAL, FABMr e Tyr-P é signifi cativamente modulada durante a resposta tecidual ao implante de osso medular inorgânico bovino, tanto em função do período como do tamanho da partícula.




DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2006.v9i4.455