Prevalência de má oclusão e a relação com alterações funcionais: respiração e deglutição

Leonardo Marcomini, Milton Santamaria Jr., Adriana Simoni Lucato, Júlio Cesar Bento Santos, Carlos Alberto Malanconi Tubel

Abstract


Os objetivos desse trabalho foram determinar, em moradores assistidos pelo Programa Saúde da Família na cidade de Casa Branca – SP, a prevalência de más oclusões e suas relações as com alterações funcionais: respiração e deglutição. O estudo foi realizado na área assistida pela Unidade de Saúde da Família de Casa Branca, num total 652 crianças, de ambos os gêneros e com idade entre sete e quatorze anos. A oclusão foi avaliada de acordo com as relações anteroposterior, vertical e transversal. Para a análise estatística foram utilizados os testes Coeficiente de Correlação, Qui-quadrado e Fisher. Os resultados mostraram que 70,1% da amostra apresentam má oclusão. No aspecto funcional, 9,5% apresentaram respiração bucal e 10% deglutição atípica. Houve correlação positiva estatisticamente significante entre a má oclusão e as duas funções avaliadas (p<0,001). Concluiu-se que a prevalência da má oclusão foi elevada e esta apresentou correlação positiva com as alterações funcionais.


Keywords


Prevalência, Má oclusão, Respiração Bucal, Deglutição



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2010.v13i1/2.20