Estudo epidemiológico descritivo do carcinoma epidermóide bucal em uma população brasileira

Fernando Augusto Garcia de Sousa, Thaís Cachuté Paradella, Luiz Eduardo Blumer Rosa, Horácio Faig Leite

Abstract


O objetivo deste trabalho é descrever as características epidemiológicas dos casos de carcinoma epidermóide numa população brasileira. Foram analisados os laudos com o diagnóstico histopatológico de carcinoma epidermóide em mucosa bucal emitidos por um importante centro de referência em Patologia Bucal da cidade de São José dos Campos - SP entre janeiro de 1972 e outubro de 2007. Dos 271 casos diagnosticados, 64,45% acometeram indivíduos do gênero masculino e da raça branca. Quanto à idade, 88,76% dos casos ocorreram entre a quinta e a oitava década de vida, sendo a média de idade no momento do diagnóstico para o gênero masculino de 58,79 ± 12,47 anos e para o gênero feminino de 63,94 ± 13,46 anos. Em cerca de 10% dos casos foi relatado tabagismo e/ou alcoolismo. A língua foi a região mais freqüentemente acometida (23,17%), seguida pelo lábio (22,01%) e pelo assoalho bucal (15,06%). Clinicamente, o tamanho da lesão primária no momento do diagnóstico foi, em média, 2,26 ± 1,17 cm e seu tempo de evolução foi 9,13 ± 11,75 meses para o gênero masculino e 6,46 ± 8,83 meses para o gênero feminino. Em 37,64% dos casos foi relatada dor. Em 90,41% dos casos diagnosticados houve concordância entre o diagnóstico clinico e o histopatológico. Quanto ao grau de diferenciação histológica, 38,89% dos casos diagnosticados eram bem diferenciados, 50,00% moderadamente diferenciados e 11,11% pouco diferenciados. Estes resultados estão de acordo com a literatura e reforçam a importância de políticas públicas de combate ao câncer bucal




DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2008.v11i4.663