Avaliação do pH e liberação de íons cálcio, na utilização intracanal de pastas à base de hidróxido de cálcio

Carlos Henrique Camargo, Samira E. Afonso, Márcia C. Valera, Maria N. G. Mancini, Norberti Bernardineli, Luciane D. de Oliveira

Abstract


O propósito deste trabalho foi o de avaliar in vitro as alterações do pH e liberação de íons cálcio, após a utilização intracanal, de pastas de hidróxido de cálcio com diferentes veículos. Nesse estudo foram utilizados 46 dentes unirradiculados bovinos, que tiveram suas coroas removidas, após isso realizou-se o preparo biomecânico 1mm aquém do forame com irrigação de hipoclorito de sódio 2,5%, seguido de irrigação final com EDTA. No terço médio de cada espécime na superfície radicular externa, foi realizado um preparo com 4mm de comprimento X 2mm de largura e 1mm de profundidade. Os canais foram preenchidos com pastas de hidróxido de cálcio e para isso foram divididos em grupos de acordo com o veículo utilizado, G 1: detergente; G 2: solução salina; G 3: polietilenoglicol 400 + paramonoclorofenol canforado (Calen PMCC) e G 4: polietilenoglicol 400 + paramonoclorofenol furacinado (PMCF). A raízes foram impermeabilizadas externamente, exceto na área da cavidade, imersas individualmente em frascos contendo 4 ml de solução salina fisiológica e, mantidas à 37°C. As mensurações de pH e liberação de cálcio foram feitas aos sete e 14 dias. O Calen PMCC foi estatisticamente superior em todas as análises, seguido pelo PMCF e solução salina, que se equivaleram e por último o detergente que foi estatisticamente inferior aos demais grupos. O período de 14 dias mostrou maior aumento na liberação iônica.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2003.v6i1.193