Avaliação da compatibilidade biológica do cimento Sealapex® e deste cimento acrescido de iodofórmio ou óxido de zinco

Márcia C. Valera, Ana Lia Anbinder, Yasmin R. Carvalho, Ivan Balducci, Idomeo B. Filho, Alberto Consolaro

Abstract


Dentre os cimentos de hidróxido de cálcio presentes no mercado, o Sealapex® apresenta grande biocompatibilidade e selamento marginal apical, mas não possui a radiopacidade desejada, motivo pelo qual muitos profissionais passaram a agregar algumas substâncias Dentre os cimentos de hidróxido de cálcio presentes no mercado, o Sealapex® apresenta grande biocompatibilidade e selamento marginal apical, mas não possui a radiopacidade desejada, motivo pelo qual muitos profissionais passaram a agregar algumas substâncias radiopacas ao cimento. O propósito deste trabalho foi avaliar a resposta tecidual ao Sealapex® puro e acrescido de iodofórmio ou óxido de zinco, em tecido conjuntivo subcutâneo de ratos. Utilizaram-se trinta animais, nos quais os três materiais, no interior de tubos de polietileno, foram implantados. Após períodos de observação de 14 ou noventa dias, realizou-se o sacrifício e os espécimes foram encaminhados para preparação histológica de rotina. As respostas do tecido conjuntivo em contato com o cimento puro e com as combinações testadas foram avaliadas de forma descritiva e quantitativa através de escores, analisando-se a intensidade da inflamação e do fibrosamento. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente utilizando-se o teste de Friedman ou o teste de Mann-Whitney (????=0,05). Reação inflamatória com presença de macrófagos e células gigantes multinucleadas, muitas vezes contendo partículas dos materiais no seu interior e fibrosamento capsular foram encontrados na maioria dos espécimes, em ambos os períodos de observação. O acréscimo de iodofórmio ao cimento Sealapex® praticamente não alterou as propriedades biológicas do cimento puro, enquanto que o acréscimo de óxido de zinco foi capaz de melhorá-las, diminuindo a intensidade do infiltrado inflamatório.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2005.v8i4.397