Resistência à tração, de cápsulas cimentadas sobre troqueis metálicos, em função de alívio e retenção para o cimento

Carlos Augusto Pavanelli, José Eduardo Araújo

Abstract


O objetivo desta pesquisa foi estudar resistência à tração de cápsulas cimentadas a troqueis metálicos, com cimento fosfato de zinco, variando o alívio interno nas cápsulas e sulcos horizontais nas cápsulas e nos troqueis. Foram usinados em torno computadorizado (CNC), 288 cilindros, em aço inoxidável, simulando preparos para coroas totais (144) e respectivas coroas (144). Foram estabelecidas quarenta e oito condições experimentais, replicadas três vezes. Ajuste técnico de 2μm foi feito em todas as cápsulas para permitir assentamento. As cápsulas foram divididas em três grupos iguais em função do alívio. O grupo A não foi aliviado, os grupos B e C receberam 30μm e 60μm respectivamente. A quantidade de sulcos variou entre zero e três, tanto nas cápsulas como nos troqueis. A profundidade dos sulcos foi de 200μm. Os corpos-de-prova obtidos das cimentações com cimento fosfato de zinco foram submetidos a ensaio de tração em máquina universal de ensaios (Emic-Itaquaquecetuba-SP), no Departamento de Materiais e Tecnologia da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, UNESP. Os resultados numéricos foram submetidos a tratamento estatístico (Análise de Variância e teste de Tukey). Os resultados mostraram diferença estatística significante (5%), individualmente e na interação das variáveis, alívio e quantidade de sulcos nas cápsulas. Não houve diferença estatística quanto à quantidade de sulcos nos troqueis. A análise dos resultados permitiu concluir que a resistência à tração: aumentou com o aumento do alívio e com a quantidade de sulcos nas cápsulas; permaneceu inalterada com os sulcos nos troqueis; parece ser limitada pelas variáveis estabelecidas para o troquel.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2003.v6i2.359