Avaliação da resistência adesiva entre uma cerâmica reforçada por leucita e dois cimentos resinosos

Fabiola Pessoa Pereira Leite, Estevão Tomomitsu Kimpara, Luiz Felipe Valandro, Aleska Dias Vanderlei, Marco Antônio Bottino

Abstract


O presente estudo avaliou a resistência da união entre a superfície da cerâmica VITA OMEGA 900 (VITA) e dois cimentos resinosos Foram confeccionados quatorze blocos da cerâmica com dimensões de 6mm x 6mm x 5mm (recomendações do fabricante), os quais foram duplicados em resina composta (W3D MASTER, Wilcos, Brasil). Uma das faces de cada bloco cerâmico (6mm x 5mm) foi tratada com ácido fluorídrico a 10% (Dentsply) e cimentada com
dois diferentes cimentos resinosos: Panavia F (Kuraray) and Rely X (3M/ESPE) sob carga constante de 750g, à face do bloco de resina composta correspondente. Os conjuntos cerâmica-cimento-resina composta foram divididos em.
dois grupos (n=7): grupo do Panavia F e grupo do Rely X. Cada conjunto foi cortado e foram obtidas oito amostra por conjunto. Cada uma foi fixada com cianoacrilato em um paquímetro adaptado e acoplado em máquina de ensaios universal (EMIC) com velocidade de 0,5mm/min. Os dados (MPa) foram submetidos ao teste estatístico paramétrico ” t ” de amostras independentes cujos resultados indicaram que o grupo do Panavia F (média = 16,07 MPa ; dp = 3,61) não
diferiu estatisticamente (t= 1,27; gl=12; p-valor = 0,228) do grupo do RelyX (média = 13, 71 ; dp = 3.33) ao nível de significância de 5%. De acordo com os resultados obtidos foi possível concluir que os dois cimentos resinosos usados
nesse estudo foram eficientes para cimentação intra-oral.

 

 




DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2008.v11i2.459