Avaliação da microdureza e da resistência à compressão de diferentes compósitos resinosos indiretos

Alessandra Bühler Borges, Graziela Ribeiro Batista, Sérgio Eduardo de Paiva Gonçalves, César Rogério Pucci, Alexandre Luiz Souto Borges, Daphne Câmara Barcellos

Abstract


Este estudo teve o propósito de investigar as propriedades microdureza superficial e resistência à compressão de 5 marcas comerciais de compósitos indiretos. Confeccionaram-se 25 espécimes de 5 marcas comerciais de compósitos (n=5) para cada tipo de ensaio: Signum (Heraeus Kulzer), Solidex (Shofu Inc.), Resilab (Wilcos), Adoro (Ivoclair Vivadent), Sinfony (3M/ESPE). Os espécimes foram armazenados em água destilada à 37ºC por 15 dias e submetidos ao ensaio de microdureza superficial com Microdurômetro digital Vickers, realizando três endentações com carga de 50g/15s. Para o teste de resistência à compressão através de carga axial foi utilizada uma ponta de extremidade arredondada de 2 mm diâmetro, adaptada a máquina de Ensaio Universal (DL 2000 – EMIC) com célula de carga de 1000kgf, a uma velocidade de 0.5mm/min. Os dados foram submetidos aos testes ANOVA e Tukey (5%). Houve diferença significante entre os compósitos (p= 0,00) para a propriedade mecânica de dureza, mas não houve diferença significante para a propriedade resistência à compressão (p=0,29). Os valores médios em microdureza Vickers: Resilab: 56,68a, 4 Signum: 34,60b, Solidex: 31,34c, Adoro: 27,20d, Sinfony: 25,79d. Os valores médios de resistência à compressão: Solidex: 174,64a; Sifony: 169,05a; Resilab: 168,03a; Adoro: 164,73a; Signum: 155,96a. Concluiu-se que os compósitos indiretos testados não apresentaram diferenças significantes entre si para os valores de resistência a compressão; que o compósito indireto Resilab apresentou valores de dureza significantemente maiores do que todos os compósitos testados; a dureza superficial mostrou-se material dependente.

UNITERMOS

Força compressiva; dureza; resina composta.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2011.v14i3/4.751