Influence of glass fiber reinforcement and resin viscosity on the fracture strength of adhesive partial fixed prosthetic dentures

Taciana Marco Ferraz Caneppele, Ingrid Oliveira Silva, Alessandra Buhler Borges, Alexandre Luis Souto Borges, Carlos Rocha Gomes Torres

Abstract


O objetivo deste estudo foi avaliar a influência do reforço com fibra de vidro e viscosidade da resina na resistência à fratura de prótese parcial fixa adesiva (PPFA). Um molde de aço inoxidável foi confeccionado simulando preparos oclusais para PPFA em primeiro pré-molar superior (4x4x2mm) e molar (6x4x2mm), com uma caixa proximal (2x1x4mm) e 7mm de distância entre eles. Esses moldes foram duplicados em poliuretano (n = 60) e divididos em dois grupos de acordo com a viscosidade da resina: G - Grandio SO (VOCO) (n= 30) e GHF - Grandio SO Heavy flow (VOCO) (n= 30). Estes grupos foram subdivididos em três subgrupos de acordo com o reforço de fibra de vidro utilizado (n = 10): Subgrupo N - sem reforço de fibra de vidro; Subgrupo V - GRANDTEC (VOCO); subgrupo S – everStick C & B (Stick Tech). Quatro incrementos divididos em 2 camadas, 2 na parte inferior e 2 na parte superior dos preparos foram fotopolimerizados de acordo com as instruções dos fabricantes. Uma força vertical foi aplicada no centro das peças a uma velocidade de 1mm/min. Os dados foram obtidos em Kgf e submetidos a ANOVA a 2 fatores e teste de Tukey (α = 0,05). A ANOVA mostrou diferenças significativas para reforço de fibra de vidro. Subgrupo N (24,45 ± 3,60)a foi significativamente diferente do subgrupo S (32,54 ± 6,94)b e subgrupo V (37,18 ± 5,33)c. As fibras de vidro testadas foram capazes de melhorar a resistência à fratura de PPFA. A Fibra GRANDTEC apresentou os maiores valores de resistência à fratura e, para as resinas estudadas, a viscosidade não teve influência na resistência à fratura de PPFA .


Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2013.v16i1.854