Influência de operadores na adaptação das bases de prótese total

Rafael Leonardo Xediek Consani, Saide Sarckis Domitti, Marcelo Ferraz Mesquita, Maria Helena Waack de Almeida

Abstract


A adaptação das bases de prótese total superior foi verificada em função de três operadores. Cada operador confeccionou cinco conjuntos modelo de gesso-base de cera, que foram incluídos pela técnica de rotina em muflas metálicas. A resina acrílica polimerizada termicamente Clássico foi proporcionada e manipulada de acordo com as instruções do fabricante. Após prensagem final sob carga de 1.250 Kgf em prensa de bancada, as muflas foram colocadas em prensa de mola e a resina acrílica submetida ao ciclo de polimerização em água aquecida a 74oC por 9 horas. As bases de resina foram fixadas ao modelo com adesivo instantâneo e o conjunto secionado lateralmente nas regiões correspondentes à distal dos caninos (A), mesial dos primeiros molares (B) e palatina posterior (C). O desajuste da base de resina ao modelo de gesso foi verificado com microscópio comparador, em cinco pontos para cada tipo de corte. Os resultados submetidos à análise estatística e ao teste de Tukey (5%) mostraram que o nível de desajuste da base foi influenciado pelos operadores e as diferenças foram estatisticamente significativas (p<0,05) para um dos operadores.




DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2000.v3i1.74