Influência da configuração e do bisel em esmalte bovino, nos preparos cavitários classe V, para restaurações de resina composta compactável, estudo “in vitro”

João C. Carvalho, Maria Amélia Máximo de Araújo, Clovis Pagani, Carlos R. G. Torres

Abstract


O objetivo deste trabalho foi avaliar o selamento em cavidades de classe localizadas em esmalte de dentes bovinos, empregando-se teste de microinfiltração, levando-se em consideração os fatores configuração do preparo cavitário, o tratamento das paredes de esmalte com a presença ou não de bisel e o emprego de uma resina fluida associada a uma resina campactável. Foram selecionados oitenta dentes bovinos, limpos, removendo-se a polpa radicular e coronária e irrigados com soro fisiológico. Os ápices foram vedados com resina composta e os dentes receberam uma base de resina acrílica e foram conservados em freezer a -18ºC até o momento de uso. Após os preparos, os mesmos foram restaurados, usando-se condicionamento ácido/adesivo Prime Bond NT, resina compactável SureFil e em metade dos corpos-de-prova a resina fluida Flow It. Os corpos-de-prova foram submetidos a 500 ciclos térmicos e imersos em Rodamina B 2% por 24h; lavados em água corrente por 20min para remoção do corante e secagem. Em uma cortadeira foram realizados dois cortes no sentido vestíbulo-lingual para avaliação em estereomicroscópio por dois observadores, que atribuíram escores de acordo com os graus de infiltração marginal. Foram empregados os métodos estatísticos Kruskal Wallis, comparação múltipla de Tukey e Mann-Whitney com nível de significância de 5%. Concluimos que: 1- a configuração do preparo cavitário não influencia o grau de infiltração marginal; 2- a presença de bisel, para o preparo em forma de caixa mostrou melhora de comportamento, com redução estatisticamente significante do grau de infiltração marginal; 3- o emprego da resina fluida foi favorável apenas no grupo III, preparo tipo gota sem bisel; 4- o melhor comportamento ocorreu no grupo II, preparo tipo caixa com bisel.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2005.v8i2.392