Avaliação da infiltração marginal em restaurações com resina composta, variando-se a configuração cavitária e métodos para acabamento marginal do esmalte:instrumentos manual, rotatório e laseres de Er:YAG e Nd:YAG

Alexandre M.de Resende, Clovis Pagani, Maria Amélia Máximo de Araújo

Abstract


A infiltração marginal é um dos grandes desafios da Odontologia Restauradora, principalmente em restaurações de resina composta. A proposta desse estudo foi avaliar a capacidade de selamento marginal de restaurações de resina
composta, com duas formas de cavidade e diferentes métodos para acabamento da margem em esmalte: instrumentos manuais, rotatórios e laseres de Er:YAG e Nd:YAG. Para isso foram utilizados 100 incisivos bovinos, recém-extraídos, e preparadas 200 cavidades nas faces proximais, com margem cervical em esmalte. Em seguida os dentes foram divididos em 10 grupos, onde se variou a forma da cavidade (caixa e arredondada) e os métodos de acabamento (instrumentos manual, rotatório e laseres de Er:YAG e Nd:YAG). Após o preparo cavitário e o acabamento marginal, as cavidades foram restauradas com resina composta pela técnica incremental. Os espécimes foram impermeabilizados com esmalte para unhas, excetuando-se 1,0mm ao redor das restaurações, termociclados em 500 ciclos, variando de 5 a 55oC e imersos em solução de nitrato de prata a 50% por 24 horas. Os dentes foram seccionados e os cortes analisados em microscopia ótica, fotografados e a microinfiltração mensurada. Para análise dos resultados foram utilizados os testes ANOVA One-Way e Kruskal-Wallis. Os resultados mostraram que o melhor acabamento marginal realizado foi com o laser de Er:YAG, tanto nas cavidades arredondadas como naquelas em forma de caixa; o laser de Nd:YAG apresentou a maior microinfiltração nas cavidades em forma de caixa. Quando comparado os dois tipos de cavidade, as arredondadas apresentaram menor
infiltração marginal para todas as formas de acabamento.



DOI: https://doi.org/10.14295/bds.2008.v11i1.524