Análise das discrepâncias verticais verificadas em coroas metálicas cimentadas, em função do tipo de acabamento cervical dos preparos, alívio interno e cimentos empregados

Carlos Alberto Jambeiro Da Rocha, Aldari Raimundo Figueiredo, Marco Antônio Bottino

Abstract


Foram analisadas as discrepâncias verticais ocorridas após o assentamento de coroas totalmente metálicas, cimentadas com três tipos de cimentos temporários, Nogenol, Temp Bond N.E., Lee Smith Temporary Cement, e um utilizado para a fixação definitiva de próteses fixas, o de fosfato de zinco Lee Smith Zinc Cement, de fabricação nacional, adotado para comparação com aqueles. Foram usinados em aço inoxidável, modelos-padrão e cápsulas metálicas sem e com alívio interno de 30 mm, que se justapunham, adaptavam-se e assentavam-se sobre eles formando os corpos-de-prova, e foram variados os tipos de acabamento cervical dos preparos que apresentavam a forma de chanfro, gume de faca, ombro inclinado de 135º, ombro reto com bisel de 45º, e ombro reto. Foi desenvolvido um método original que não só permitia o reaproveitamento dos corpos-de-prova, mas também impossibilitava o deslocamento das cápsulas antes e durante os procedimentos para as mensurações. As conclusões foram as seguintes:a) sempre existiram discrepâncias verticais médias com valores positivos após o assentamento das coroas cimentadas. Essas discrepâncias, da menor para a maior, assim se apresentaram conforme a marca do cimento: Nogenol, Temp Bond NE, Lee Smith Temporary Cement, Lee Smith Zinc Cement; b) sempre houve uma diminuição nas discrepâncias verticais médias quando as coroas tiveram sua superfície interna aliviada; c)as coroas com término cervical em ombro reto, de maneira geral, foram as que apresentaram as maiores discrepâncias verticais após a cimentação. Seguiam-se as com acabamento cervical em ombro reto com bisel de 45º; d) as coroas com término cervical em chanfro, ombro inclinado 135º, e gume de faca, tiveram um comportamento semelhante, no que diz respeito às discrepâncias verticais médias, sempre as menores ocorridas após a cimentação,em nível de significância de 5%.




DOI: https://doi.org/10.14295/bds.1998.v1i1.23